Banhos de limpeza energética

Todos nós já ouvimos, em alguma altura da vida, expressões e conselhos como “Estás tão carregada, toma mas é um banho de sal.” ou “Estiveste naquele local? Vai é tomar um banho de sal grosso”, mas o que são estes famosos banhos?

Um banho de sal, de descarrego, ou de limpeza energética, permite, através dos componentes que adicionamos e da nossa intenção, potenciar a nossa limpeza e equilíbrio energético. Existem variadíssimos tipos e formas de fazer um banho de descarrego, mas o mais comum e mais conhecido é o banho de sal grosso.

O sal grosso é um neutralizador energético potentíssimo, sendo muito útil para limpeza energética não só de pessoas, como de espaços físicos (quem já ouviu falar no copinho de água e sal nos cantos da casa?). No entanto, apesar deste banho ser tão conhecido, algo que geralmente não é falado, é que por si só, água+sal não é suficiente para compor um banho de limpeza energética adequado. Porquê? Porque, como referi acima, o sal é um neutralizador energético muito potente. Mas, ao neutralizar, está, efetivamente, a eliminar qualquer energia densa, mas desta forma sairemos do banho sem energias densas, sim, mas provavelmente com uma sensação de cansaço, de esgotamento energético, pois o sal neutralizou qualquer energia, densa ou subtil. Então, o ideal, é adicionar ao banho uma erva, planta, por exemplo, que potencie uma vibração subtil, de forma a sairmos recarregados e não simplesmente neutralizados. Exemplos de plantas adequadas será a alfazema, as pétalas de rosa, mas haverá muitas mais.

Quanto à forma de tomar banho, é muito conhecido o banho de imersão, e acaba por ser mais prático e relaxante. No entanto, no caso de não haver essa possibilidade, pode na mesma ser feito. Como? Após o banho de duche normal, ter num recipiente a água com o sal e as ervas, e deitar por cima do corpo, com a intenção de limpar e equilibrar as energias.

Um aspeto que quero ainda realçar, é o facto de ser fortemente recomendado que, nestes banhos, a água apenas toque do pescoço para baixo. Esta questão deve-se aos chackras superiores (frontal e coroa) serem mais sensíveis e suscetíveis à ação neutralizadora do sal, podendo levar a um desequilíbrio destes. No entanto, juntando as ervas ou plantas, este cuidado, embora ainda pertinente, não é tão obrigatório.

Por fim, quando se deve fazer este tipo de banhos? Simplesmente, quando sentirmos. Idealmente uma vez por mês ajudará a manter o equilíbrio e limpeza. No entanto se, por alguma razão houver necessidade (frequentar um local mais carregado, ou termos passado por uma situação stressante e angustiante), pode e deve ser feito!

O mais importante é mantermos o nosso equilíbrio e bem-estar energético, e físico!

Gratidão!

Sónia Moreira
Mestre de Reiki
Terapeuta Holística
Mentora de Desenvolvimento Pessoal e Espiritual

Partilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *