Parentalidade na Nova Era

As crianças da Nova Era (sugiro a leitura do artigo “O que é a 5ª Dimensão”, para compreender melhor o que é esta Nova Era) são seres espiritualmente bastante desenvolvidos, com uma sensibilidade e características muito especiais. Estamos a atravessar um momento intenso do Despertar da consciência coletiva e, como “é de pequenino que se torce o pepino”, torna-se fundamental acompanhar e orientar as crianças da Nova Era no seu Despertar, bem como aos seus pais/família e outros educadores (formais e/ou informais).

Não nos cabe a nós, adultos, ditar qual o caminho que a criança (ou outro adulto) deve seguir, mas sim guiar e fornecer as ferramentas necessárias, para que decida e percorra o seu caminho, cumprindo com o seu propósito de alma.

Nunca foi tão importante educar a criança de forma consciente e positiva.

Consciente das suas características, emoções, dificuldades, preferências, limitações, necessidades e de tudo aquilo que habitualmente categorizamos como “bom” ou “mau”. Positiva porque, se bem te lembras, o universo devolve aquilo que eu dou, portanto se a minha postura perante a criança for positiva, de assertividade, ela irá mais facilmente espelhar e retribuir. Dos vários modelos pedagógicos existentes, o essencial é que cada um@ de nós eduque com o coração, com amor e respeito pela individualidade de cada criança, como ser multidimensional que é, bem como respeito pelo seu ritmo de crescimento e desenvolvimento, que é gradual, progressivo e, também ele, único, livre de julgamentos, preconceitos ou qualquer outra limitação. A forma como nos apresentamos e relacionamos com a criança (e não só!) faz toda a diferença e se for com consciência e com o coração, temos então meio caminho andado para educarmos crianças verdadeiramente felizes e saudáveis.

Não posso deixar de partilhar um comentário que ouvi do Professor José Pacheco (fundador da Escola da Ponte), a quem admiro imenso, acerca da clássica questão que colocamos a praticamente qualquer criança, que é “o que queres ser quando fores grande?”. Ao que ele responde “a criança não quer ser, porque já o é! É um absurdo limitar a criança desta forma”. Efetivamente a criança já é! É um Ser holístico e multidimensional e, ao colocarmos esta questão, estamos a limitar, de forma mais ou menos consciente, todo o seu potencial a uma única profissão, como se esta fosse o que a vai definir no seu todo. Pode parecer uma questão inocente e insignificante, mas é todo um conjunto de questões e atitudes deste género que compõe o modelo pedagógico que habitualmente usamos para educar as nossas crianças e, com isto, estamos a limitá-las e a formatá-las, criando assim a “pescadinha de rabo na boca”.

É fácil educar? Há receitas mágicas? Claro que não! O modelo de educação tradicional está muito enraizado em nós e, assim, a tendência é educarmos como nós própri@s fomos educad@s. Isto não significa que a nossa educação foi boa ou má, pois foi necessária para estarmos exatamente onde escolhemos estar, hoje. É necessária vontade, determinação e uma pitada de coragem para cortar estas raízes, trazer tudo o que nos servir e fizer sentido, mas também completar com o que esta Nova Era traz de novo e de maravilhoso. Estamos sempre a tempo de fazer mais e melhor, respeitando a essência de cada um@ de nós, seja adulto ou criança.

As crianças são os nossos mestres, pois são o espelho mais fiel dos nossos próprios comportamentos, receios, dúvidas, fragilidades… com elas temos uma oportunidade incrível de nos reconhecer, curar, transmutar e, assim, evoluir. Lembram-se que as crianças são um espelho? Ao ver a nossa própria evolução, também elas o vão fazer, mas à sua maneira, no seu tempo. O nosso papel é nutri-las com muito amor, respeito, humildade e com sabedoria espiritual.

Então, qual a melhor forma de educar uma criança na Nova Era?

A forma que respeita a tua essência, enquanto educador@, a forma que utiliza o amor como modelo pedagógico, a forma que te permite evoluir e, assim, proporcionar à criança a oportunidade de fazer o mesmo, ao seu ritmo e como melhor lhe servir, para o seu bem divino. Começa a mudança em ti! O resto virá.

Gratidão!

Maria Sacramento
Mestre e Terapeuta de Reiki
Facilitadora de Desenvolvimento Pessoal e Espiritual

Partilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *