OS CINCO PRINCÍPIOS DO REIKI | O caminho que convida à felicidade

O Reiki, enquanto filosofia de vida, assenta em cinco princípios base e todos começam desta forma: “Só por hoje”, que assinala a importância do presente, do “aqui e agora”! Só Aqui e Agora é que posso ser realmente feliz, descobrir o meu verdadeiro EU, sentir a vida, amar a mim própri@ e, só depois, a@s outr@s.

Por muito conturbado que tenha sido, por muita dor que tenha causado, por muita saudade que tenha deixado, o passado já passou e não há nada que possa fazer quanto a isso. Por muito que se queira prever, preparar e viver o futuro, não sabemos se lá chegamos. O que temos de mais certo, para além do presente? Porque não vivê-lo intensamente, como se não houvesse um amanhã, como se fosse uma dádiva? Não é por acaso que se chama “presente”.

Mikao Usui, chamado de “pai do Reiki”, afirmava que “o Reiki é o caminho que convida à felicidade”. Quem tiver a oportunidade de experimentar esta maravilhosa filosofia de vida, facilmente compreenderá o significado desta frase. Pois, ao colocar em prática estes princípios, por muitas dificuldades, obstáculos ou desafios (ou como lhes queiram chamar) que surjam na minha vida (e vão continuar a surgir!), a minha postura perante as adversidades é que vai fazer a verdadeira diferença. A forma como decido reagir é de única e exclusiva responsabilidade minha, portanto só depende de mim própri@ escolher o caminho que mais se ajusta ao meu propósito e à minha essência. E se esse caminho for feito respeitando quem realmente Eu Sou e de mãos dadas com o amor, será sempre pleno de pura felicidade.

“Só por hoje sou calm@“

Ser calm@ é apenas aquele estado em que canto “hakuna matata”, colocando os problemas para trás das costas? Não! Ou significa que não posso ficar incomodad@ com a situação stressante que está a acontecer na minha vida? Também não! Ser calm@ é, sim, um estado interior e, como tal, só eu própri@ tenho o poder e capacidade de o alcançar. Por muito que uma situação seja stressante, só eu poderei decidir como vou reagir perante essa adversidade. Os sentimentos não têm moral e acontecem sem que tenhamos controlo sobre eles, mas a forma como reagimos a partir daí, essa sim depende unicamente de nós própri@s.

A calma ajuda-nos a alcançar o reconhecimento e crescimento interior, permitindo-nos observar a nossa vida de fora, como se fossemos espetadores, tornando-se possível observar os caminhos possíveis, para escolher com mais discernimento e sabedoria, qual o mais adequado para nós, neste momento.

“Só por hoje confio”

A confiança vem do nosso coração! Tudo acontece por um motivo e aceitar este facto traz-nos uma paz incrível. Ao aceitar uma situação (ou pessoa, por exemplo), não significa que esteja a concordar com o que está a acontecer. Se houver algo que eu possa fazer para mudar a situação, então “mãos à obra”, caso contrário, quanto mais rápido eu aceitar a situação tal como é, mais rápido o meu coração vai acalmar e conseguirei seguir em frente o meu caminho. Possivelmente, a situação desafiante não vai a lugar nenhum, mas a forma como eu posso reagir, essa sim, vai mudar certamente.

Com calma e em harmonia, conseguimos desenvolver a capacidade para confiar, primeiro em nós própri@s (eu sou capaz, eu sou suficiente, eu sou perfeit@, tal como sou) e só depois n@s outr@s.

“Só por hoje, sou grat@“

Todas as nossas vivências, mais ou menos agradáveis, fazem de nós o que somos hoje. Ao sermos grat@s por tudo o que nos acontece e por tudo o que temos, a nossa postura muda automaticamente. Aloja-se nos nossos corações paz e serenidade, o que nos ajuda a olhar para os obstáculos do dia-a-dia com outros olhos, sob outra perspetiva, uma perspetiva iluminada e cheia de amor porque gratidão, para além de ser uma virtude, é um ato de puro amor. E que tal só por hoje, darmos valor a tudo o que temos? Que é tanto!!!

“Só por hoje, trabalho honestamente”

Trabalho honestamente, cumpro os meus deveres e sou verdadeir@, para comigo e para com @s outr@s. Trabalho e honestidade andam de mãos dadas, se queremos ser pessoas íntegras, respeitadas e respeitáveis.

Honestidade não tem apenas a ver com seriedade no sentido de não enganar/roubar. Tem também a ver com respeitarmos a nossa essência, os nossos valores e as nossas crenças. Se estou num trabalho em que, constantemente, tenho de me anular, para “encaixar” no ambiente ou com @s colegas, então não estou a ser honest@ para comigo.

“Só por hoje, sou bondos@“

Sou bondos@ para comigo, só assim conseguirei ser bondos@ para com @s outr@s. Respeito todos os seres vivos e todas as formas de vida.

Se, só por hoje, eu conseguir descobrir e aceitar o que de melhor há em mim, quem sabe, amanhã, conseguirei fazer o mesmo com aqueles que me rodeiam…

O Reiki ajuda-nos interiormente e desperta-nos, tornando-nos cada vez mais conscientes. Por muito difícil que, por vezes, possa ser aplicar estes princípios (que é!), vale a pena o esforço, para nos tornarmos seres verdadeiros e felizes.

Se, todos os dias, aplicarmos e trabalharmos nem que seja um princípio de cada vez, a diferença começa a notar-se. Em sociedade, vivemos de forma mais ou menos consciente, com o efeito de espelho (comportamento gera comportamento), portanto as pessoas que nos rodeiam, ao testemunhar a nossa mudança (ou despertar!), também elas se vão sentir tentadas a mergulhar no autoconhecimento e a percorrer o fantástico caminho do desenvolvimento pessoal.

“Sê a mudança que queres ver no mundo” (Mahatma Gandhi)

Gratidão!

Maria Sacramento
Mestre e Terapeuta de Reiki

Partilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *