REIKI | Da filosofia de vida à terapia complementar

O que é o Reiki?

Para mim, na minha verdade e na minha miopia, o Reiki significa literalmente “energia (ki) universal (rei)”. É, acima de tudo, uma filosofia de vida, que assenta em cinco princípios como pilares (iremos abordar noutra altura), que serve de ponto de partida para constituir uma fantástica terapia de cura. É a energia do amor, é a “arte secreta de convidar a felicidade”, segundo o próprio Mikao Usui, o “pai do Reiki”.

Como terapia complementar, utiliza a sobreposição das mãos (com ou sem toque) d@ terapeuta, que canaliza a energia do universo para quem está a receber. A energia é inteligente, sabe para onde e quando há de ir, manifesta-se de várias formas e a cura (física, emocional, espiritual, energética…) só depende única e exclusivamente do próprio recetor. O Reiki é simples assim!

Para quem gosta e/ou necessita de definições mais complexas, partilho aqui uma definição da Associação Portuguesa de Reiki: “Reiki é uma terapia complementar, no âmbito das Terapias e Medicinas de Campo Bio Energético, na qual o Reiki está inserido segundo o conceito da NCCAM – National Center for Complementary and Alternative Medicine, que é uma Agência dos EUA, dedicada à explicação rigorosa sob o prisma da ciência, das Medicinas Complementares e Alternativas”.

Para quem é?

Todos os seres vivos podem receber Reiki, independentemente da idade, condição de saúde ou até mesmo espécie. Sim, todos os animais (incluindo nós, humanos), plantas e todos os outros seres vivos que habitam neste planeta, podem receber esta energia universal. É, ainda, possível harmonizar situações, locais, objetos e até alimentos com Reiki. Para quem nunca experimentou, recomendo beber chá com Reiki! Assim, também todas as pessoas podem aprender, se assim o desejarem.

Como se aprende?

O primeiro passo para aprender, seja o que for, é desejar. Portanto, qualquer pessoa que deseje aprender Reiki, vai conseguir fazê-lo. Na verdade, tod@s nós nascemos a saber aplicar Reiki (a nós própri@s e a terceir@s) portanto, posto isto, ao “aprender” estamos simplesmente a recordar aquilo que a nossa essência já sabe fazer desde sempre. No entanto, antes de aprender a terapia complementar, considero importante conhecer e viver o Reiki enquanto filosofia de vida, construindo assim o seu caminho de Desenvolvimento Pessoal. Só assim, a pessoa conseguirá usufruir plenamente desta terapia maravilhosa e, se o desejar, ser um@ excelente terapeuta e, quem sabe, mestre de Reiki.

Quais os benefícios?

Sendo que o ser humano é composto por várias dimensões (física, psicológica, emocional, espiritual, energética…), os benefícios do Reiki enquanto terapia complementar são inúmeros, pois depende de vários fatores. Não é possível dizer, com toda a certeza, como é que uma pessoa se vai sentir ao receber Reiki, mas é possível afirmar que a energia é sábia e vai exatamente para onde é necessária e nas doses adequadas, deixando o receptor nas melhores condições para que este possa realizar o seu processo de autocura. E quando falamos de cura, não é apenas uma cura física, pois, se bem se recordam, nós somos seres multidimensionais. Portanto, estamos sim a falar de uma cura no sentido holístico de cada ser.

Se estivermos a falar de pessoas, dependendo do que cada um@ precisa de curar, os benefícios do Reiki podem passar por:
– ajudar a relaxar;
– ajudar na alteração de padrões de pensamento;
– ajudar na resolução de fobias e traumas;
– ajudar na recuperação de lesões, tratamentos, cirurgias;
– diminuir stress e ansiedade;
– facilitar o processo de autoconhecimento;
– facilitar o processo de desenvolvimento pessoal;
– melhorar a autoestima;
– melhorar a concentração;
– reduzir os efeitos indesejáveis de medicação/tratamentos;
– e muito, muito mais…

Curios@? Lembras-te da minha primeira “definição”? Para compreender melhor, só experimentando! Até já!

Gratidão!

Maria Sacramento
Mestre e Terapeuta de Reiki

Partilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *